a verdade sobre o caso harry quebert

by livraisse

Eu sou uma fã enrustida de romances policiais, eu não sei muito bem que tipo de livro ler desse gênero, mas eles me atraem, todos que eu já li nesses anos, eu acabei gostando, por um motivo ou outro, eu nunca abandonei nenhum, sempre quis saber o segredo que só o autor conhecia. Claro que em vários momentos, a descoberta foi desanimadora e óbvia, mas em outros momentos, o livro cumpre a promessa e nos mantém atento. Acho que os dois casos podem descrever A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert, que tem como plano de fundo do mistério, um romance entre um autor de trinta e quatro anos e uma jovem de quinze anos. Nolla. a jovem de quinze anos, sumiu do município de Aurora há trinta e três anos, na época, sem muitas pistas, a busca pelo seu paradeiro logo cessou. Após trinta e três anos, restos mortais de Nolla são encontrados no jardim do já velho escritor, Harry Quebert, antigo namorado secreto de Nolla. Terem desenterrado este crime, faz com que Harry seja o maior suspeito – afinal, a menina acompanhava a sua obra-prima em manuscrito com uma dedicatória – levando Marcus Goldman, o melhor amigo de Harry, à Aurora para desvendar essa história.

O ponto fraco do livro (realmente fraco, só pra constar) são os diálogos ou a fraqueza com que os personagens foram escritos para pensarem em dizer algo tão piegas e irritante. Os personagens são superficiais e eu me senti imensamente feliz por não ter tido que conviver com Nolla em todas as páginas do livro, voltas ao tempo são frequentes e isso é desconcertante, há muitas partes que se repetem e os diálogos são realmente desconfortáveis, mas há o outro lado, uma escrita tão fácil e conquistadora que não importa a fraqueza dos personagens e de seus diálogos, mesmo com Marcus Goldman narrando, eu devo continuar lendo, mesmo quando ele é um personagem um tanto vazio, a vontade pessoal de saber o que me aguardava era maior. De fato, algumas vezes até me esquecia da breguisse do texto e me concentrei na fluidez dele, realmente acho que Joël Dicker tem algum futuro como autor, mas espero que sem romance da próxima vez, ele é patético nessa parte.

O livro é escrito por um escritor ficcional que tem como guia Harry Quebert e sua obra-prima (As Origens do Mal, e pelo que li no livro, esse é um dos livros que não conseguiria se tornar uma obra-prima no século XX) é um livro sobre o livro, Marcus Goldman passa por uma crise e não consegue mais escrever, fazendo-o quebrar o contrato com a editora, até se inspirar com o caso do amigo e começar a escrever um livro sobre O Caso Harry Quebert, investigando e descobrindo vários segredos da pequena cidadezinha de Aurora.
Não sei se é algum livro que indico, mas é um livro que gostei de ler, apesar dos pesares, mas não vá esperando uma Obra-Prima, na contra-capa do livro há comentários muitos pretensiosos, claro que garanto que muita gente realmente achará isso, mas é um suspense fosco, apesar de escrito de forma contagiante, o romance é besta e infantil, realmente inacreditável, mas, novamente, a escrita flui e não é fácil manter alguém entretido por quase 600 páginas, mas Joël Dicker conseguiu, pelo menos comigo.

Anúncios